cidade Rio

150630a_caminho_trilho+praia

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

____ Hoje completa quatro semanas que a esta viagem começou. Hoje volto para São Paulo. Escrevo de Arraial do Cabo, cidadezinha que a partir de setembro será minha temporária residência. O tal chamado para ficar parado…
____ …mas vamos por partes…

____ Vou tentar resumir o máximo possível, não apenas para quem lê, mas porque quem escreve possui uma certa preguiça. Saí de Paraty em direção ao Rio de Janeiro. A faísca inicial dessa viagem era encontrar Ivo, amigo alemão que estava passando uma temporada com a namorada no Rio e logo ia embora. Já no primeiro dia o encontrei e me contou uma grande e bela novidade… Está com casamento marcado e aguardam uma pequena. Conheci Clarissa no dia seguinte, belo belo casal.

150701b_boteco

Me abriram sua casa e acabei ficando mais dias na cidade. E para manter a minha pequena tradição de comer sanduíche de filé com abacaxi sempre que vou ao Rio, os levei para experimentar essa maluquice…

150701a_cervantes
____ Uma história que vale a pena escrever… Em Ubatuba, comprei um par de brincos de cerâmica, trabalho da Carolina (onde fiquei hospedado), ainda sem um destino certo. Depois de sair com Ivo e Clarissa, abri a mochila e ví os brincos. Sabia exatamente para quem tinha comparado… nova mama Clarissa :) Eram para ela.

____ Aproveitei para encontrar Umberto, mestre cinematográfico, e Maria, que na época que comecei a trabalhar era sua assistente. Aprendi e vivi muitas coisas com os dois, de cinema e da vida. 150702_montagem____ Agora coloco algumas imagens da cidade porque a preguiça para escrita és grande.

150703a_gato150703b_laps

150704_carne 150705a_galerie 150706_sinal150704_sta_teresa

150704_ruina 150704_ruina_2

 150706c_sinal_2 150706d_pedra_do_sal 150706e_misti

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

____ Saí do Rio dia 07 de julho, em direção a Cabo Frio…

#3 – paraty…

____ Dia 6 – Trindade <> Paraty

____ De Trindade a Paraty são poucos quilômetros. Aproveitei para ir a praia do centro de Trindade, vazia…

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

____ Na estrada, passei por um sinal da cachaçaria Coqueiro… rah! “Paraty tá tão perto, por que não?!”

onde faz a marvada…

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

PARATY

____ Cheguei em Paraty, fui direto para a praia do Jabaquara. Nunca tinha ficado por lá e sabia que tinha alguns campings. Armei a barraca e fui para o centrinho, caminhar, relembrar o ambiente… a cidade dos encontros malucos…

camping, praia do jabaquara

150628c_cafezincafezin da tarde…

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

O chamado para ficar parado.

____ A tarde, parei em um ateliê de aquarelas e comecei a conversar com a moça que atendia, uma das artistas do espaço. Conversamos sobre o trabalho, sobre a cidade, de onde éramos… disse da minha vontade de sair da caótica são paulo, quem sabe ficar ali mesmo em paraty. Ela disse que tá meio caro, mas dá para achar coisa boa. Caro quanto? r$600~r$800… isso para quem tá na capital paulista, tá bem dos ok. Foi plantada uma pequena sementinha…
____ Eu pretendo fazer uma viagem mais longa daqui alguns meses, mas a ideia de me estabelecer temporariamente em algum lugar antes realmente me fascina. Eu tenho alguns trabalhos pendentes e ficar parado parece necessário.
____ E se não em Paraty…
____
____ … quem sabe em Ouro Preto?!
____
____ … aiai.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

150628d_lua

lua quase quase cheia…

____ Mais tarde fui encontrar a Rou… não nos viámos desde 2010! Aiai. Paulistana, também esgotada com a cidade e em agosto partirá com o namorado para o velho continente. Mais uma pessoa que de São Paulo sai…
____ Encontramos alguns colegas dela, jantamos, conversamos e… tiramos fotos! Eitcha!

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

____ Dia 7 >> Paraty <<

____ Seguindo o tal chamado para ficar parado, fui com a motinho a bairros onde poderia encontrar algum lugar para alugar: Ponte Branca, Corisco e outros. Em Ponte Branca achei uma casinha linda, as margens de um rio, toda de barro, fogão a lenha… ahhh, não sei se para a vida, mas por uma temporada é o local perfeito. Andei diversos quilômetros e finalmente compreendi que aquela busca não o melhor a se fazer. Ao menos não daquela maneira.
____ Voltei ao Jabaquara, caminhei, caminhei, dei aquela dormidinha na praia.
____ A noite fui jantar no Thai Paraty, lugar que agora é tradição minha na cidade. Antes, enquanto caminhava pelo pier, entre o centro histórico e a praia do pontal, encontrei a Rou. Ah despedidas… é uma arte. E talvez porque ela irá viajar, a coisa cresce um pouco. Vai entender.
____ Depois da janta, comprei duas cervejinhas e fui para as pedras no pier admirar a lua, faltando uma ou duas noites para ficar completamente cheia. Tava tão enorme que fazia sombra. ahhh a lua. E depois ainda encontro Rou de novo, no mesmo lugar onde tiramos as fotinhos da noite anterior…

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

____ Dia 8 | Paraty <-> Rio de Janeiro

____ Passei no mercado e comprei o típico café da manhã desta viagem… Iogurte com granola. Saí cedo e fui em direção ao Rio, cerca de 250 km de distância, que de scooter…….

____ Mas agora (dia 11 ou 12) eu vou para Santa Teresa, ver a cidade, ir no cine, caminhar… parar de tentar escrever – musa que não tenho familiaridade ou intimidade – vou viver a vida! Chega por hoje.